Entrevistas

ENTREVISTA: Raíza Goulão – Medalhista de MTB no PAN em 2023

Compartilhe esse artigo com as opções abaixo.

Com muito prazer, conseguimos uma entrevista com a medalhista de MTB do PAN em Santiago do Chile Raíza Goulão. Vamos conhecer um pouco mais sobre uma das principais atletas que representa o ciclismo feminino brasileiro.

Nos conte quem é Raíza Goulão e como o MTB entrou na sua vida.

Sou de Pirenópolis Goiás, uma cidade bem pequena, tem até um pouco de tradição de bike em si pois tem muitas trilhas naturais. Comecei a comprar peças de bicicleta e montei uma para andar na cidade, andar um pouquinho na estrada de terra, sentir mais a liberdade ali de estar sozinha em contato com a natureza.

Dali em diante parece que o bichinho pica, rsrrs e tem uma prova muito tradicional na minha cidade e eu participei como amadora e fiz terceiro (pódio como amadora) sofri muito, confesso que pensei em desistir no final e pensei nunca mais pratico isso não, que que é isso! Só que na hora que cruzou a linha de chegada pensei quando é a próxima rsrsr.

Dali em diante consegui ter resultados muito expressivos, campeã goiana, campeã brasileira, campeã panamericana, sempre conciliando com o trabalho, sempre busquei ser independente, custear todos os meus gastos, com a universidade, sou formada em administração, então, foi uma jornada, não foi fácil, foi uma entrega, desde sempre me entreguei muito, para tudo que eu faço eu me entrego de corpo e alma e foi isso, acho que foi libertador e conquistar o mundo né mais de dezoito nações através da bike.

Como foi a sua preparação para o PAN 2023?

Bem esse ano está sendo um ano bem intenso, um calendário muito extenso, por ter um calendário mundial, um calendário acaba que pontos específicos para as olimpíadas, eu confesso que para o panamericano eu vim ganhando ritmo né, já vinha com muitas provas nas costas, um desgaste físico e mental até um pouco grande e infelizmente acabou que eu não consegui chegar com a melhor performance possível na semana do PAN eu peguei uma gripe, um resfriado forte, então assim fiquei bem apreensiva, mas tentei espremer do corpo o máximo que eu tinha, foi a última espremida assim para tirar o máximo possível para minha nação.

21.10.2023 – Jogos Pan-americanos Santiago 2023 – Mountain bike – Raiza Goulão ganhou a medalha de bronze – Foto Wander Roberto/COB @wander_imagem

Vimos durante a prova no PAN que uma queda poderia ter atrapalhado o seu resultado, como foi se reinventar durante a prova para conseguir o pódio em uma competição de alto nível como o PAN?

Bem acho que o mountain bike é isso, estamos sujeitos a ter quedas, a tudo acontecer, várias coisas que não estão em nosso controle. Nós treinamos na pista antes, elaboramos estratégias de prova, estratégias de alimentação, de equipamento, escolhas adequadas, mas na hora da prova tem vários fatores que não estão sob nosso controle, então, são fatores que temos que ter uma reação rápida, um plano B em mente, as vezes não foi planejado antes, mas tem que tomar uma decisão de forma rápida.

Foi assim comigo, eu tive uma queda na primeira volta e isso me tirou totalmente da disputa, eu estava na disputa do ouro, teria muita prova pela frente, estávamos apenas eu e a atleta canadense e ai tínhamos aberto um pequeno gap para a terceira colocada. Tomei um tombo, que foi forte, uma torção no joelho que pensei no momento que não conseguiria levantar e continuar, ao ponto da minha médica falar que a medalha quase custou um ligamento, rsrsrs. A partir do momento que voltei para a pista, estava entregando tudo que eu tinha mas pensar no terceiro lugar. Quando comecei a recuperar e alcançar as atletas da frente, não tinha mais nada na mente além de buscar uma medalha para minha nação. Foi o mantra que me guiou durante seis voltas. Só tinha isso na minha mente.

Como está o seu processo de recuperação pós PAN? Vimos na mídia que está em processo de recuperação devido a queda na prova, isso atrapalha o planejamento para as próximas competições?

Devido a queda, juntamente com os médicos, ortopedistas e especialistas do comitê olímpico, resolvemos tirar o pé. Eu teria mais uma prova, era para ter estendido a estadia no Chile para ter uma prova no sábado que valia pontos para o ranking mundial e para o ranking olímpico. Mas para recuperar, eu tive uma torção no ligamento colateral médio, então para focar na recuperação e pensando em Paris na preparação não seria um risco válido participar da prova e arriscar correr mais uma prova e aumentar a lesão. Então voltei para o Brasil e na primeira semana ficarei em repouso.

Vou poder movimentar a perna de forma normal se achar necessário fazer um fortalecimento para não perder musculatura, mas como antecipei as férias, são momento que temos ali de sete a quinze dias off mesmo, perdendo tonus muscular e tudo mas seu corpo precisa disso. Desde novembro e dezembro do ano passado estava treinando e desde final de janeiro estou competindo.

Acabou que antecipamos (as férias) de forma racional, estou liderando o ranking olímpico então, não é nada que precise me preocupar com os pontos da prova que optei em não competir, o foco agora é na recuperação e nas férias, desconectar um pouco corpo e mente para voltar mais forte para  preparação.

Depois de Tudo que já viveu no MTB brasileiro e mundial, qual os próximos desafios?

Então, os próximos desafios agora são no ano que vem, buscar a vaga olímpica, definir mesmo, ser a brasileira que representa o Brasil nas olimpíadas e buscar a melhor performance nos jogos olimpicos. No início do ano teremos um calendário bem extenso também, com provas importantes para ganhar ritmo.

O Brasil ano que vem vai sediar duas etapas na copa do mundo é isso é muito importante e acaba que correr em casa tem uma energia a mais e uma pressão a mais também de fazer um bom resultado então até maio tenho provas importantes como três etapas da copa do mundo, um pan-americado, e algumas provas para estar ganhando ritmo e pontos olímpicos. Depois foco total na preparação para as olimpíadas.


21.10.2023 – Jogos Pan-americanos Santiago 2023 – Mountain bike – Raiza Goulao ganhou a medalha de bronze – Foto Wander Roberto/COB @wander_imagem

Qual mensagem deixa para quem está começando no esporte?

Bem eu acho que quem está começando no esporte, o esporte é além de uma prática boa para a saúde e para a mente, ajuda a formar pessoas, ensina disciplina, respeito, humildade, eu acho que são lemas que levo comigo que aprendi no esporte. Ele pode ser uma válvula de escape, seu maior tratamento, muitas vezes você está conectado e é algo que amplia seus limites. Independente de ser um esporte coletivo ou não você precisa buscar se superar, ampliar seus limites, estar ali presente, vivenciar o momento e abraçar as oportunidades que ele oferece pra você.

E ai curtiu a entrevista? compartilhe o link e acesse o nosso perfil no instagram para acompanhar as novidades https://www.instagram.com/bikereview.oficial/


Compartilhe esse artigo com as opções abaixo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 4 =